quarta-feira, 20 de abril de 2011

Desafio Nacional: Apátrida - Ana Paula Bergamasco

Por: Bruna K.

APÁTRIDA
Autora: Ana Paula Bergamasco
Editora: Todas as Falas
Ano: 2009
Páginas: 336
Esse livro merece: ★★★★★!

Capa linda.
Como já contei a vocês, eu tinha muita vontade de ler Apátrida, por se tratar da Segunda Guerra Mundial, tema que me interessa muito. Assim, um dia encontrei o book tour e resolvi me aventurar sem medo de ser feliz, rs.
Recebi o livro e infelizmente usei todo o prazo, os quinze dias, para terminar de ler. Falta de tempo, desculpa, galera! Enfim, vamos ao livro!

 Fruto de quatro anos de pesquisa histórica e formação da estrutura da obra, e finalista do  Prêmio SESC de Literatura de 2009, não é ser puxa-saco, mas achei Apátrida um livro maravilhoso.
Como vocês já viram aqui, leio muitos clássicos e não tinha dado chance aos novos talentos nacionais. Me surpreendeu muito e fiquei feliz de ver que há novos autores brasileiros tão bons e merecedores de reconhecimento como a Ana.
Pra mim, o ponto alto do livro, não é nem um trecho, mas sim o todo. Me impressionou bastante como Apátrida é convincente. Muitas vezes esquecia que estava lendo uma ficção. Irena e todos os outros personagens, até os mais singelos, tornaram-se pra mim algo real, que passaram por acontecimentos reais.
A pesquisa da Ana foi maravilhosa, por isso comecei a falar que o livro é uma aula de história.
Sem se prender a uma única história real, ela pôde incluir em seu livro todos os principais pontos (e mais chocantes) dessa Guerra, isso deu mais liberdade à autora.
Além da Guerra, Irena nos mostra do que um grande amor é capaz. Ela arrisca a vida diversas vezes, por amor a Jacob, um judeu.
Em algumas partes de Apátrida é difícil passar as páginas sem se deparar com pelo menos uma indagação sobre o que estava acontecendo. Gostei bastante disso, por humanizar ainda mais o relato.
Por fim, penso que Apátrida não é completamente ficticio, Irena foi construída a partir do que várias mulheres sofreram na Segunda Grande Guerra. E o mesmo acontece com os demais personagens. À partir de histórias reais que já li sobre o assunto, cheguei à conclusão de que, mesmo ficção, Apátrida é um livro completo. Muitas vezes triste, mas, lindo e humano. Valeu a pena.
Pontinhos negativos: O livro não possui uma ordem cronológica e isso me incomodou no começo. Um pouco depois percebi que era necessário para manter a atmosfera de mistério acerca da vida de Irena já no Brasil.
Ainda assim, não saber a idade de Irena e o início de alguns capítulos me deixaram um tanto perdida. Não sabia se Irena estava falando de seu presente ou do passado. Coisinhas que facilitariam o entendimento, mas comparado à grandeza da obra, não atrapalham muito. 
Veredicto final: Recomendadíssimo.

3 comentários:

  1. Hey, Bruna!

    Apátrida é mesmo um livro lindo. Foi um dos melhores que li este ano. A Ana Paula escreve muito, muito bem!
    Chorei baldes... rsrs

    Super beijo pra vc e uma ótima Páscoa pra vc e toda a sua família!

    ResponderExcluir
  2. Querida, fiquei muito feliz pelo recomendadíssimo!

    Agradeço-lhe o carinho.

    Já está linkado ao blog.

    Um abraço, Ana

    ResponderExcluir
  3. Ana, não tem o que agradecer! Apátrida é lindo de verdade. Há um bom tempo não me emocionava tanto com um livro.
    Beijo!

    ResponderExcluir

Seu comentário alimenta nosso blog, então aproveitem esse espaço e digam o que estão achando. :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...