terça-feira, 3 de maio de 2011

Wishlist #1: O Natimorto, de Lourenço Mutarelli

Por: Bruna K.

Estou vendo falar tanto, mas tanto sobre o filme/livro O Natimorto que já estou com vontade de ler o livro e assistir ao filme. Ainda dediquei pouco tempo a procura de informações, mas o que vi já me interessou bastante. Logo, resolvi inaugurar uma sessão no blog: Wishlist. Nada muito criativo, mas fazer o que, né? 

O Livro: 

Sinopse d'O Livreiro:Em 'O Natimorto', a narrativa em primeira pessoa, entremeada por diálogos que lembram uma peça de teatro, atira o leitor no abismo da consciência de um homem em crise, que interpreta as fotografias antifumo dos maços de cigarros como se fossem cartas de tarô. Um casamento infeliz, a impotência sexual e a obsessão por pureza levam o protagonista a buscar uma mudança de vida radical. A oportunidade surge quando ele encontra uma cantora cuja voz é tão pura que ninguém escuta e inicia com ela um relacionamento feito de carinho e incerteza, sedução e dependência. Ele está disposto a se trancar para sempre num quarto de hotel com a mulher que ele mal conhece, mas ela ainda aspira a seguir uma carreira no mundo impuro ao qual ele decidiu renunciar.
 "O Natimorto foi criado por Mutarelli a partir das imagens bizarras estampadas nos maços de cigarro. É a insólita história de amor entre um agente musical (vivido agora pelo próprio criador) e uma cantora que não sabe cantar. Trancados em um quarto de hotel, os personagens são confrontados com a própria solidão. Mutarelli emagreceu sete quilos em três semanas e se mudou para o set de filmagens que foi construído num estúdio na Vila Leopoldina, na zona oeste de São Paulo." Mais


O Filme: 
| Twitter

Confesso que o que acendeu em mim a vontade de assistir o filme foi o trailer que acabou me lembrando o musical The Wall do Pink Floyd. Principalmente a cena ao lado.

Ok, ok! Admito que fiquei com vontade de assistir por ser bizarro e ter me causado uma sensação de estranheza (?). Não sei bem porque, mas gosto dessas coisas. 
Eu só não estou entendendo uma coisinha: em alguns sites vi o filme datado de 2009, mas essa comoção toda é pelo lançamento do filme, agora em 2011. Será que eu visitei o passado? Será um déjà vu digital? Será que... alguém pode me explicar isso? '-'
Vocês podem conferir as novidades no twitter, cujo link postei acima.

Trailer:





Crítica do Omelete: O principal acerto de Natimorto, um filme de altos e baixos, é silenciar quando Simone Spoladore canta, ideia implícita no próprio subtítulo do livro de 2004 em que o filme se baseia, O Natimorto - Um Musical Silencioso. (...) 
O transtorno romântico-obsessivo é o mesmo de O Cheiro do Ralo, e ganha contornos esotéricos com o tarô jogado, diariamente, nas fotos da campanha antitabagista dos maços de cigarro. (...) O que está no nervo do filme, porém, não tem nada de místico. É a questão do prazer estético. Onde e como buscar a beleza e o que fazer dela são os dilemas que originam todos os demais em Natimorto, porque vão de encontro à crise do autor. Escrever, afinal, não deixa de ser uma busca pelo belo. Mais.



O autor:
Site |
No começo dos anos 00, o até então quadrinista Lourenço Mutarelli foi convidado para criar uns desenhos que seriam inseridos no filme Nina (2004), de Heitor Dhalia. Algo naquela curta experiência parece ter despertado o artista para algo que, agora, é indissociável de sua carreira. Autor do livro O Cheiro do Ralo, que chegou aos cinemas em 2007 também com Dhalia, e ator nos curtas Cidade do Tesouro e Bartô, Mutarelli agora vê o seu reflexo invertido em tela grande. E com a estreia de Natimorto, o cinema que já latejava em suas palavras, agora lateja em suas veias e corrói seu corpo e pulmão. Mais
Lourenço Mutarelli também é autor de O Cheiro do Ralo.




2 comentários:

  1. Filme pesado. Não conhecia nem tinha ouvido falar, a não ser do autor. Mas pense que história perturbadora, lenta e diferente de se ver? Não é algo pra se ver acho que assim " ah vou ver algo que me anime " hauhaua né não amore? Mas algo pra se ver com olhos... filosóficos como diria o regi.

    A Simone Spoladore é uma mega atriz. Não conheço o resto do elenco infelizmente. Pelas cenas parece ser perturbador! Mas daqueles filmes que vc diz " muito bom ". Pelo menos no meu pequeno ponto de vista.

    Amore! Aquele Brazil também deu mega vontade de ver! A direção me lembrou o Tommy e o The Wall!

    =D ~

    ps- Dá orgulho de ver o allstar melhorando cada dia mais =)~
    Beijo *-* Te amo!

    ResponderExcluir
  2. Huahua, você mais do que ninguém sabe o quanto eu gosto desses filmes pesados, perturbadores, lentos e diferentes, né, amore? Huauha.

    Pra mim é como um brinquedo perigoso num parque, morro de medo de ir e quando saio quero andar de novo, rs.
    Com esse tipo de filme sou assim, fico perturbada, passo mal e depois quero ver de novo, e de novo...

    E vê se essa cena da banheira não lembra o Pink! D: Aí deu mais vontade de ver. -q

    Amo você também ^-^

    ResponderExcluir

Seu comentário alimenta nosso blog, então aproveitem esse espaço e digam o que estão achando. :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...