quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

{Eu li} Caim - José Saramago

FICHA TÉCNICA

Idioma:
 Português, PT

Número de páginas: 176
Encadernação:
 Brochura
Dimensão: 21 x 14 cm
Ano de Lançamento: 2009


Lançado em 2009, o ainda recente livro de José Saramago revisita o Antigo Testamento na figura de Caim e lançar sobre ele um olhar crítico. Polêmico? Com certeza!

Tudo começa com Adão e Eva como num prólogo e já mostra ao que veio: Eva passa para trás Deus e o arcanjo Azael encarregado de guardar o Éden. Caim (primogênito de Adão e Eva) entra em cena quando mata o irmão Abel por inveja, já que Deus preferia seus trabalhos aos de Caim. É então condenado por Deus a vagar pelo mundo. Com a malandragem herdada dos pais, Caim convence Deus de sua parcela de culpa, já que o Próprio poderia ter intervindo no assassinato do filho adorado. O Criador pra aliviar a barra marca Caim com uma mancha negra na testa e então nada de mau poderia acontecer a ele. 


Em suas andanças, o assassino viaja no tempo e testemunha os principais episódios do Velho Testamento como a destruição de Sodoma e Gomorra, o Bezerro de Ouro, a coisa toda terminando na arca de Noé.

Sem querer ofender os mais religiosos, Saramago fez algo que muitos querem e também muitos não têm coragem: questionar o sagrado, o divino. Além disso, cita contradições bíblicas. Na figura de Caim, ele faz isso quase com inocência,
porque não conhecia tabus e podia falar diretamente a Deus sem quem lhe pusesse medo dEle, não sabia o que é considerado heresia.

Em contraponto com a "inocência", o autor nos 'apresenta' a um Deus colérico, vaidoso, cheio de vontades, orgulhoso, que pode ser tapeado, sente vergonha e está longe de ser onisciente, enfim, um Deus humano que mais parece criado à nossa imagem e semelhança.  

A justificativa para o livro talvez seja encontrada na seguinte frase declarada  pelo autor à Folha:

"À Bíblia eu chamaria antes um manual de maus costumes. Não conheço nenhum outro livro em que se mate tanto, em que a crueldade seja norma de comportamento e ato quase natural." 
- José Saramago

Em uma opinião ainda mais pessoal (ninguém perguntou, eu acho) eu, que não sou lá muito religiosa, questiono, duvido, pergunto, discuto e adoro conhecer outros pontos de vista por isso o livro me chamou tanta atenção. Quanto ao que eu penso sobre religião deixemos pra lá porque religião, futebol e política não se discutem. 
____________________________________



O AUTOR

José Saramago atuou como crítico literário em revistas e trabalhou no Diário de Lisboa. Acuado pela ditadura de Salazar, a partir de 1976 passou a viver de seus escritos, inicialmente como tradutor, depois como autor.  Iniciou sua atividade literária em 1947, com o romance Terra do Pecado.
Em 1991, publica O Evangelho Segundo Jesus Cristo, livro censurado pelo governo português - o que leva Saramago a exilar-se em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (Espanha), onde viveu até a morte. Foi ele o primeiro autor de língua portuguesa a receber o Prêmio Nobel de Literatura, em 1998.

Foi galardoado com o Nobel de Literatura de 1998

2 comentários:

  1. Oi Bruna! eu cai de para-quedas aqui no seu blog, através do All Star e jeans do FB! adorei sua resenha sobre esse livro do Saramago que eu to louca pra ler! legal pq agora já sei um pouquinho mais! parabéns pelas páginas, do FB e essa, eu realmente adorei!!! como boa leitora compulsiva de blogs, o seu já foi pra minha lista rsrs. bjim :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aah, que querida, Jackie! Muito, muito obrigada pelo feedback, me deixou muito feliz mesmo! Caim é um livro maravilhoso, divertido e malicioso também, haha. São comentários (raros) como o seu que me fazem continuar resenhando quando estou desanimada. Muito obrigada e sempre que puder, conte o que está achando. :)
      Beijo!

      Excluir

Seu comentário alimenta nosso blog, então aproveitem esse espaço e digam o que estão achando. :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...