quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

{Jukebox + Tradução} One - Metallica

Quando assisti ao clipe pela primeira vez com todo aquele climão azulado confesso que tive calafrios, haha. Muuuito tempo depois, meu namorado que já tinha me perturbado uma vez com o dito cujo, me fez assistir de novo. Foi aí que a coisa mudou de rumo. Fui atrás do título do filme e, pra meu deleite, descobri ser baseado em um livro de Dalton Trumbo. Ah, mas aí eu fiquei louca! 

A Jukebox de hoje é fora de época (antes de sexta-feira), mas é por boa causa, pra deixar vocês curiosos. A resenha do livro já tá pronta, mas vou postar aos pouquinhos, depois dos {Quotes}, pra deixar vocês com a mesma sensação que eu tive.


Mas vamos à música. A quem conhecer, comente! Mas quem não conhece pode comentar também, é claro, rs!




Letra e Tradução:

One

I can't remember anything
Can't tell if this is true or dream
Deep down inside I feel to screem
This terrible silence stops me


Now that the war is through with me
I'm waking up, I cannot see
That there's not much left to me
Nothing is real but pain now

Hold my breath as I wish for death
Oh please God, wake me

Back in the womb it's much too real
In pumps life that I must feel
But can't look forward to reveal
Look to the time when I'll live

Fed through the tube that sticks in me
Just like a wartime novelty
Tied to machines that make me be
Cut this life off from me

Hold my breath as I wish for death
Oh please God, wake me

Now the world is gone I'm just one
Oh God, help me
Hold my breath as I wish for death
Oh please God, help me

Darkness imprisoning me
All that I see, absolute horror
I cannot live, I cannot die
Trapped in myself
Body my holding cell

Land mine has taken my sight
Taken my speech, taken my hearing
Taken my arms, taken my legs
Taken my soul, left me with life in hell

Único

Não consigo me lembrar de nada
Não consigo dizer se isto é sonho ou realidade
Dentro de mim sinto vontade de gritar
Este terrível silêncio me impede


Agora que a guerra acabou comigo
Eu acordo e não posso ver
Que não resta muito de mim
Nada é real a não ser a dor agora

Prendo a respiração enquanto desejo morrer
Oh, Deus, por favor acorde-me

De volta ao útero é muito real
Para dentro injeta-se a vida que tenho de sentir
Mas não posso olhar para frente e imaginar
Ver a vida que terei

Alimentado por tubos enfiados em mim
Como num romance de guerra
Ligado a máquinas que me fazem existir
Tirem-me desta vida

Prendo a respiração enquanto desejo morrer
Oh, por favor, Deus acorde-me

Agora o mundo desapareceu, eu sou o único
Oh, Deus, ajude-me
Prenda minha respiração enquanto desejo morrer
Oh por favor Deus ajude-me

Trevas aprisionando-me
Tudo o que vejo: horror absoluto
Não consigo viver, não consigo morrer
Preso dentro de mim mesmo
O meu corpo é a minha cela

Campo minado arrancou-me a visão
Arrancou-me a fala, arrancou-me a audição
Arrancou-me os braços, arrancou-me as pernas
Arrancou-me a alma, deixou-me com a vida no inferno


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário alimenta nosso blog, então aproveitem esse espaço e digam o que estão achando. :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...