quinta-feira, 10 de maio de 2012

{Eu li} Blues - Robert Crumb

Blues
Robert Crumb
Quadrinhos
Editora Conrad
102 páginas
O livro no Skoob | O livro no Omelete
 

Blues
é uma coletânea de quadrinhos feitos por Robert Crumb entre as décadas de 60 e 80. O autor, é o mais conceituado cartunista underground americano e figura entre a lista dos 100 gênios ainda vivos. Algumas histórias de Blues surgiram de pesquisas do autor, aficionado por música antiga e inadaptável à contemporânea, transformadas em biografias ilustradas de nomes da antiga música negra americana.
 
A HQ trás experiências de Crumb com a música, cartazes produzidos por ele, cartazes bem-humorados anunciando sua banda, histórias que ilustram a vida de negros americanos na época do blues, biografias, lendas desmistificadas e um pouco da vida do próprio autor. O ponto alto para quem não conhece muito do blues é a quadrinização de músicas, onde Robert ilustrava My Guy (não confundir com My God, da Noviça Rebelde) e até musicais da Broadway.




 
Com acidez, humor, sexo e deus-o-livre-do-rock-n'-roll, Blues é uma HQ para adultos, que mostra tanto  fatos que nos introduzem ao blues quanto a visão do autor (divertido e ranzinza) sobre música. É uma leitura fluida e direta, sem preocupaões com o politicamente correto, como se o leitor estivesse conversando frente-a-frente com Robert e este, contando os velhos causos americanos.

Encontrei no Guia do Estudante (pois é!) um post sobre Crumb e um quadro interessante com uma das histórias mais clássicas do blues retratada no livro:
Cruz credo!
Quer aprender rápido?Procure o capeta
No velho Mississipi, acreditava-se que o modo mais fácil de se tornar mestre do blues era selar um pacto com o demônio. O músico Thommy Johnson garantia ter feito isso para aprender a compor e a tocar. Em Blues há uma história em que ele aparece e dá a receita do sucesso fácil: “Pegue seu violão e vá para um lugar onde tenha uma encruzilhada”, diz. “Tome o cuidado de chegar um pouco antes da meia-noite e fique lá com seu violão, tocando uma música sentado, sozinho.” Se um grande homem negro se aproximar, afinar o violão e tocar uma canção, parabéns: o negócio está confirmado. Dizem que o grande Robert Johnson fez exatamente isso, na encruzilhada das rodovias 61 e 49, em Clarcksdale, Mississipi. Sua morte misteriosa é vista como evidênciado pacto sinistro. Ao que parece,ele foi assassinado. Mas há quem afirme que ele teria sido levado pelo demônio – que teria vindo à Terra cobrar dele uma antiga dívida.  
Link do post com o quadro, no Guia do Estudante.

4 comentários:

  1. Adorei o post, Bruna!
    Essas histórias em quadrinhos, ultimamente, tem chamado muito minha atenção.
    O interessante dessa pacto dos cantores de blues é que isso foi até usado em Supernatural. Se não me engano, tem um episódio na season 2 chamado "Blues da Encruzilhada". Um dos meus episódios preferidos! E se passa justamente no Mississipi.
    Bom, nem preciso dizer que eu preciso ler este livro, né?
    PS1: Este é o link de um trechinho do episódio que citei: http://youtu.be/xBdpv3ZMofQ
    PS2: Adorei o esmalte que vc está usando! <3
    PS3: Agora que vi você citar Robert Johnson! A história "Blues da encruzilhada" foi inspirada nele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que legal, Van! Adoro Supernatural porque eles conseguem adequar essa cultura popular nos episódios. Agora vem o estranho: eu assisti pouquíssimo episódios de Supernatural, hauha. Não tem como, série não é pra mim.

      Beijos! Obrigada pelo trechinho! :D

      Excluir
  2. Quero mto ler!
    Umas semanas atrás vi um documentário sobre um blueseiro amigo do Robert Johnson, o Honeyboy; tava passando no Multishow, é mto bom, recomendo!

    ResponderExcluir
  3. Nossa parece muito bom, me deixou morrendo de vontade de ler

    ResponderExcluir

Seu comentário alimenta nosso blog, então aproveitem esse espaço e digam o que estão achando. :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...