quinta-feira, 28 de março de 2013

{Filmes} Os miseráveis

  A primeira coisa que falei ao entrar no cinema foi "É um musical?!". Sim, apedrejem-me e esfolem-me, mas eu não fiz o dever de casa e não li uma sinopse detalhada nem procurei ver o trailer na internet.

 Acreditei simplesmente na minha intuição de que bastava o filme retratar o drama enfrentado pela população francesa às vésperas de sua revolução para que não fosse apenas interessante como um grande sucesso e que entrasse para a minha lista de preferidos.

  Porém, para minha decepção, o filme nem chegou perto da minha doce ilusão. Pelo menos decidi que, tirando Hig School Musical aos meus ingênuos doze anos de idade, não devo confiar em nenhum musical.






Momento em que Fantine é despedida
  Mas como nada é de todo mau, vamos ressaltar os pontos bons:


 Achei os cenários esplendidamente fantásticos, todos eles, sem exceção. Desde os que demonstravam extrema miséria e sujeira aos que deveriam demonstrar dor, sobriedade e "escuridão".
Fantine (Anne Hathaway, ganhou o
Oscar por melhor atriz coadjunvante)
 As atuações também foram perfeitas. Os atores transmitiram muito bem cada sentimento que devia ser passado, principalmente a dor, diga-se de passagem.



  E, por fim, mas claro, a história. Apesar de não ter lido o livro apenas procurei informações depois de ter visto o filme achei a história bem adaptada tirando o fato de ser um musical no geral.
Cosette e a família que "cuidava" da menina.
  É um filme que eu recomendo sim, mas por favor, não faça que nem eu, vá assistir sabendo que é um musical e uma lição que eu aprendi e deixo para vocês é: sempre leia sinopses.

Cosette, filha de Fantine, e Marius
  Para fechar, deixo com vocês a sinopse do filme pelo site Adorocinema.com:

Após cumprir 19 anos de prisão com trabalhos forçados por ter roubado comida, Jean Valjean (Liam Neeson) é acolhido por um gentil bispo (Peter Vaughan), que lhe dá comida e abrigo. Mas havia tanto rancor na sua alma que no meio da noite ele rouba a prataria e agride seu benfeitor, mas quando Valjean é preso pela polícia com toda aquela prata ele é levado até o bispo, que confirma a história de lhe ter dado a prataria e ainda pergunta por qual motivo ele esqueceu os castiçais, que devem valer pelo menos dois mil francos. Este gesto extremamente nobre do religioso devolve a fé que aquele homem amargurado tinha perdido.
  Após nove anos ele se torna prefeito e principal empresário em uma pequena cidade, mas sua paz acaba quando Javert (Geoffrey Rush), um guarda da prisão que segue a lei inflexivelmente, tem praticamente certeza de que o prefeito é o ex-prisioneiro que nunca se apresentou para cumprir as exigências do livramento condicional. A penalidade para esta falta é prisão perpétua, mas ele não consegue provar que o prefeito e Jean Valjean são a mesma pessoa. Neste meio tempo Fantine, uma das empregadas de Valjean (que tem uma filha que é cuidada por terceiros), é despedida, se vê obrigada a se prostituir e é presa. Seu ex-patrão descobre o que acontecera, usa sua autoridade para libertá-la e a acolhe em sua casa, pois ela está muito doente. Sentindo que ela pode morrer ele promete cuidar da filha, mas antes de pegar a criança sente-se obrigado a revelar sua identidade para evitar que um prisioneiro, que acreditavam ser ele, não fosse preso no seu lugar.
  Deste momento em diante Javert volta a perseguí-lo. Fantine, a mãe da menina morre, mas sua filha é resgatada por Valjean, que foge com a menina enquanto é perseguido através dos anos pelo implacável Javert."

P.S.: Um amigo assistiu via Netflix e me indicou a versão feita em 1980, que não é um musical. Assim que conseguir assistir eu conto para vocês o que achei.

6 comentários:

  1. eu amei Os Miseráveis, mas é preciso mesmo ter uma tolerância alta a musicais, especialmente nesse, em que TUDO é cantado. O excesso de cantoria só me estressou por pouco tempo, porque eu curti muito a história e me emocionei pra caramba. Sem contar que ele é super bem filmado :) Pena que você não gostou, mas é mesmo um gênero difícil de engolir haha
    beijocas

    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Estou sendo pressionado a assistir esse filme.....ainda não me convenci.....e gosto de musical. Chicago, Moulin Rouge foram obras que amei.

    abs

    ResponderExcluir
  3. Eu AMO Os Miseráveis, a Anne é a minha atriz favorita e me emocionou demais nas cenas em que apareceu e o elenco todo foi perfeito. Eu fui assistir sabendo que era um musical, mas não sabia que ia ser TODO cantado. No começo eu estranhei, mas depois a história foi tão perfeita pra mim que eu ignorei que nada era falado haha. O chato é que muita gente fica rindo mesmo em partes tristes por causa do jeito que o ator canta e tal, mas nada tira o encanto dessa história pra mim! Pena que você não gostou, mas é meio difícil esse gênero, principalmente esse filme que são mais de duas horas.

    ResponderExcluir
  4. Ainda não assisti esse filme. Eu já sabia que era um musical e isso afetou na hora de ir assistir. Não sou muito fã de musicais. Tirando os filmes cheio de música da Disney, prefiro a trilha sonora sem a participação dos atores.
    Acho que vou preferir ler o livro pra conhecer a estória ao invés de assistir o filme.

    Beijussss;
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Quero muito assitir Os Miseráveis, principalmente por ser um musical! kkkkk... É que eu sou apaixonada por esse gênero, inclusive meu filme preferido é Moulin Rouge, que é um musical!

    http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/
    Mais Uma Página

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michelly, ouvi falar muito bem de Chigaco. Apesar de não ser lá muito chegada, fiquei bastante curiosa. E apesar de nunca ter visto Moulin Rouge é um clássico, é inevitável nunca ter ouvido falar dele rs
      Beijos

      Excluir

Seu comentário alimenta nosso blog, então aproveitem esse espaço e digam o que estão achando. :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...